quinta-feira, 29 de setembro de 2011

ALVORECER NA PRIMAVERA

Em,25.09.2011

Alvorecer na primavera

Deveria ser colorido

Perfumado e alegre

E muito florido



O tempo fechou-se

Entre o outono e o inverno

Entre a escuridão e o tédio

A desesperança instalou-se



A tristeza apossou-se

O chorar fez-se presente

O sorriso fez-se ausente

Difícil de sentir...

Ainda pior, dizer



O que não é quente e não queima

O que não é presente adoece

O que eu sonhava virou fumaça

O que eu queria, alguém levou



Que eu seguisse o que estava escrito

Hoje proscrito e nunca mais prescrito

É solidão, é tédio

É medo, é sem remédio

E remediado está

Devia ser proibido

Alguém sofrer por amar

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

QUERO SER

Em,15.09.11
Eu quero ser pra você
Alguém muito especial
Em quem confies e sintas
Que sou totalmente leal
As carícias serão plenas
E o teu gozo também
Quero apenas o teu bem
Olhar-te mais que sereno
Fico imaginando a cena
Meu coração dispara
É tanta coisa guardada
Tantas ainda não ditas
Outras jamais feitas
Estou louca pra dizer
Logo todas as benditas
Eu sou ansiosa na espera
Mas no fazer, sou bem calma
Pra te dá muito prazer
E vê o que mais te agrada
E já estava tão cansada
De esperar o meu bem
Confesso que ele tem
Um chamego que eu gosto
Gosto tanto que me enrosco
Agora sentirei o gosto
E vou morrer de desgosto
Se ele se atrasar...
Todo meu corpo esperando
De tal forma ansiando
Pelo teu amar, meu bem
Eu sei que tu vais chegar

terça-feira, 13 de setembro de 2011

AMOR CIGANO

Em, 13.09.11
Nesse amor inteiramente cigano
Muita magia rolou
Tanta dança foi dançada
Em torno àquela fogueira
Estavas muito insinuante
De mim te aproximaste
Bastou teu olhar de luz
Pro meu corpo reluzir
Querendo-te num instante
Chegou o dia do ritual
Para unir esse casal
Que era só provocante
Mas não agiam como tal
Eu com uma espécie de sári vermelho
Nunca havia nem beijado
Estava com um medo danado
Quando ao entrar na tenda
E ver a doçura dos teus olhos
E um desejar tão terno
Era como se dissesses
Não tenhas medo,
eu vou ser todo carinho
Podes só dormir em meus braços
Sua alma revigorou-se
E aquele lindo cigano
Com aquela alma de ouro
Valia mais que todo o ouro
Que a ornamentava
Daí pra frente alegria e confiança
Ele vestia uma linda camisa branca
De um tecido bem macio
De algodão de muitos fios
Olhou-o mais uma vez
Aproximou-se falando ao seu ouvido
Meu bem, não te preocupes
Por mim está tudo bem
E vais ter a melhor noite
Que qualquer cigano sonhou
Vou pros teus braços sem medo
Pois neles sou uma flor
Desse jeito que eu narrei
Assim mesmo aconteceu
Hoje relembram juntos
Aquele dia bendito
Assim que os dois nasceram
E a esquina do vento
Tratou então de uni-los
Para que fosse cumprido
O que já estava escrito.



DO SOL À LUA

Em,13.09.11
Raia o dia
Tem sereno
Bem nas flores do jardim
Trazendo um olor gostoso
Bem direto para mim
Ninguém se mexe
Paira o sol
Nesse azul mais que celeste
Meu namorado poeta
Diz que eu tenho pressa
Mas como ele mora longe
Tem que sair bem cedo
Pra poder chegar à noite
Mas atende ao meu chamado
E logo vem me encontrar
O sol há muito dormiu
Da janela da varanda
Clareando a luz da lua
O olhar do meu amado
Refletia a luz da lua
Não se ouvia quase nada
Só seu violão na rua
Aquela tua presença
Com voz doce e apaixonada
Deixava nos casarios
Naquele pedaço de estrada
Ecos do teu assobio

CRIEI UM PASSADO PARA NÓS

Em, 13.09.11
Foi debaixo da jabuticabeira
Que trocamos o primeiro beijo
Nossas inocentes brincadeiras
Sempre lembro, nunca esqueço
Mas o tempo foi passando
Continuamos o namoro
Eu cada vez mais apaixonada
Você quase me deixando
A troca não era lá essas coisas
Mas, quem manda no coração?
Curtiste aquela paixão
Do jeitão que tu querias
De longe eu só olhando
Que rumo aquilo ia tomar
E tomou, foste embora...
Sem olhar sequer pra trás
Passaram-se anos...
Um certo dia eu estava
A passear na pracinha
Eu olhei! Era ele voltando...
Os olhos cintilavam
Eram uma alegria só
O sorriso era mais terno
Do que eu jamais vira
Choramos os dois na praça
E fomos cuidar da vida
Hoje ela é uma maravilha
Pode não ter o tal glamour
Porém nunca pensei nisso
Mas é gostosa demais
Porque nos queremos bem
Nós queremos acertar
Queremos vivenciar
Um amor sincero e puro
O meu mundo é o dele
Que se confunde com o meu
O dele é só fantasia
Precisei por uma âncora
Amarrada ao seu pé
Para que ele não voasse
Nas tais ilusões poéticas
E eu sou aquela
Que com o maior carinho
Olha pra ele e diz:
Você pode, você quer, você faz
Ele é o que me diz: Venha cá se for capaz...
Minha passarinha, meu bem
Vamos pra dentro do ninho
Pois lá ficamos em paz


segunda-feira, 12 de setembro de 2011

ACONTECENDO

Em,12.09.11
Era uma praia deserta
O sol já havia dormido
As estrelas cintilavam
O luar parecia haver descido
Nesse peculiar cenário
Via-se ao longe uma mulher
Não era jovem nem velha
Só amadurecida
Talvez depressa demais
Pelas vicissitudes da vida
Amores mal sucedidos
Pela droga da inocência
O diabo da vivência
Porque nem a providência
Caminhava em seu socorro
Era uma solidão intensa
Essa maior que o vazio
De todos os vazios ditos
Era um companheiro buscado
Um tal menino e passarinho
Que ela ficava a esperar
E ele nunca chegava
Ah! pobrezinha coitada
Dava até pena de ver
O tamanho do seu sofrer
Será que o amor, é assim mesmo?
Não seria para alegrar, acariciar
Dar prazer?
Ou é só pra olhar, nada fazer
Fazer errado...
E deixar acontecer...



domingo, 11 de setembro de 2011

A CAMA

Em, 11.09.11
Essa é uma cama
Verdadeiramente especial
A dona dela é quase igual
Aliás, é tal e qual...
Nessa cama que eu falo
Tem tudo que se imaginar
Chave, telefone, disco
Óculos, câmera, carregadores
Tem um sonzinho pequeno
Para embalar seu sono
Na falta da melhor opção
Aquele ninar gostoso
Quando cantas um acalanto
Ah! tem três óculos
Uns escuros pro sol poder enfrentar
Uns pra longe pra dona enxergar
E se desaparecem os pra perto
Ela vai tropeçar, cair e quebrar
Tento entender a lógica
Desse caos bem arrumado
Óculos nas caixas, livros de poesia
Poesias do seu amado...
Uma caixa maior com os carregadores
Enfim, parecem até seus amores
De tão cuidadinhos que são...
A dona dos cacarecos
Quando não está teclando
Queda-se nessa larga cama
Onde tudo tem nada falta
Ela adora mexer e remexer
Nessas tralhas todo dia...
É de uma praticidade
A dona desse quarto
Onde fica essa tal cama
Espanta quem nunca viu
Pois quem já viu se acostuma
Com o jeito dessa moça
Também arrumar a vida
Usando da mesma lógica
Que é a simplicidade
Junto com a praticidade

GOSTOSO CORAÇÃO

Em,11.09.11
Margeando aquele velho rio
Colhendo aqui e ali
Lindas flores do campo
Que nem aromosas são

Numa casa feito um ninho
Na qual habitam lindezas de corações
Segundo eles, são as mais belas da estação
Sendo postas em um vaso com todo o nosso carinho

Tais flores nascem ao sabor do vento
São como quartzos, safiras e turmalinas
Pedras de menor valor...
Mas pra quem adora a vida
Elas são tão alegres e muito coloridas

No nosso jardim vicejam
Rosas perfumadas e belas
Cuja fragrância com o mel repartem
São perfume e são doçura
Que o nosso amor resguarda

Carinho da minha vida
Afetos da minha alma
Encontrei minha morada
Nela estou e vou ficar
Mas, que coração gostoso
Gostoso da gente amar


NOSSA HISTÓRIA

Em, 11.09.11
As histórias de amor
No conjunto são simples
Às vezes chamas o amor
Noutras o amor de chama

É quando acende a tal chama
Que ele corre e se instala
Mantê-la acesa é uma coisa
Por vezes ela se apaga...

Quando permanece acesa
A nossa alma fraqueja
A mente escolhe a emoção
Pois faz bem ao coração

Conosco houve uma junção
De tudo que é sentimento
Não sabíamos que o tempo
Iria nos manter unidos

Há entre nós a loucura do encanto
Temos almas parecidas, amamos
a natureza e a vida, gostamos de acalantos,
De carinho, amor e ternura em cada canto

Por me precisar tão dele
Não sei se essa história
É só minha ou se é nossa
Sou nos meus versos simplória
Ele é um mestre no que faz ...

Há uma troca de poemas
Há também muito carinho
Meus poemas são só dele
Os dele são sem destino

Algumas vezes nos zangamos
Por uma palavra dita, não dita
Ou maldita palavra...
É a força da palavra escrita
Sem nada a suavizá-la

Por vezes nos chateamos
Mesmo assim fico com ele
Foi o amor que eu escolhi
É o homem que quero amar.





ACHEI

Em,11.09.11
Eu sempre quis te achar
Mas demorei a encontrar
Um poeta a sonhar
E eu querendo te amar

Será que o sonhar
Distancia o amar
Ou são coisas pra juntar
E nunca mais separar

No meu mar
De um barco só
Vivo a esperar
Por quem eu vivo a sonhar

Quero é concretizar
Esse sonhar verdadeiro
Tal sonho sonhar inteiro
Pra poder feliz ficar

Vou levar meu mar à ti
Para poderes atracar
Comigo queiras ficar
Só um pouco a namorar

Quero beijar, abraçar
Também quero me aninhar
Em teus braços, em meu ninho
E o meu carinho te dar