quarta-feira, 30 de maio de 2012

COMO SE MANTÉM ESSE NOSSO AMOR

Em, 30.05.12



Um turbilhão de acontecências


Remexem às vezes com nossos corações


Mostram-nos que todo esse amor é decorrência


De todas as grandes ternuras que envolvem as nossas ações





Nossas carências são postas


Com muita naturalidade


Eu sei o tanto que gostas


Do cheiro de felicidade





É por isso que os nossos corações voam


As nossas enormes emoções planam


Só existe lugar para abrigo





Desse amor que é tão sentido


Tudo em mim liga-se a ti


Por  bilhões de sinapses


Pois a minha mente é sabidamente tua


E o teu amor agora é somente meu





Agigantou-se em mim


Meu poeta querido


Que não podes ser meu amigo


Mas vamos levando assim





Sei que tens certeza desse amor


Porque foi nascido e parido devagarzinho


Ficastes dono de mim e de todos


Os meus pensamentos e sentimentos

UM AMOR BEM DIFERENTE


QUE AMOR...QUE ARGUMENTOS...


UMA CHUVA DE CARINHOS...


QUANTO ARDOR E SENTIMENTOS


MAS TODOS SÃO TÃO LEVINHOS





QUERO QUE ESSE AMOR


SEJA SEMPRE DESSA FORMA


TODO CHUVISCADO DE FLOR


E COM AROMA DE ROSAS





QUERO QUE O NOSSO TOCAR


SEJA LEVE FEITO PLUMA


E EM TEU CORPO COLAR


ASSIM VOCÊ SE ACOSTUMA





FAZ MEU CORAÇÃO BATER


TÃO FORTE COMO UMA TIMBA


PORQUE ADORO PODER CONCEBER


O QUANTO VOCÊ ME ESTIMA





O MAIS IMPORTANTE É SABER


QUE TEMOS OS NOSSOS TESOUROS


QUE EU TENHO O TEU QUERER


TENS DO MEU CARINHO O OURO






domingo, 27 de maio de 2012

É DIFÍCIL VIVER


23.05.12

Essa minha alegria... em parte é esforço meu

Para não me entregar à adinamia...ao breu

Pois os meus tesouros ...a minha razão de ser

Foi tê-lo encontrado e querer ficar com você



Eu só vivo me perdendo e você me encontrando

Mostrando que são fáceis os caminhos que vivo buscando

Essa coisa que eu tenho de não desistir de você e nem de nada

Dá-me a força pra viver ...é uma loucura danada



Viver a minha rotina é morrer um pouco todo o dia

Sinto-me só ... vazia e sem vontade de nada

Ela já me aprisionou em um quarto não sadio

De onde só saio... pra fazer o que não me agrada



Acho que a minha pequenez é até grande demais

Ela me estanca e não me deixa em paz

Não acho mais nada possível

Pois deixei de acreditar em tudo que eu era capaz







Eu nem sonho mais querido...não tenho razões para isso

Por favor vem me ninar...que voltarei a sonhar

Pode até ser que eu renasça ...com você a me mimar

Ficando em teu regaço e num cantinho a escutar

As palavras de carinho que gostas de me ofertar



“AJUDE-ME A QUERER RENASCER”









 

OS OLHOS QUE NÓS JÁ TEMOS


Em, 24.05.12

Os olhos que nós queremos

São os nossos...sim....senhor

Os teus bem acastanhados

Os meus cor de melaço...

Meio amarelos...meio gatinhados...

Nossos olhos nessa tela já quase que se tocaram

Já trocaram mil carícias após um poema lido

Disseram tantos e ternos sentires...

Passamos um para o outro quando nos olhamos

Aquela vontade de beijá-los e nunca mais soltá-los

Foram emissários de boas notícias

Fizeram de tudo para se gostarem...tiro fotos de perto

Para que os veja e entenda o que eu estou dizendo

E quando eu vejo os meus e os teus juntos...

Choro por não vê-los no real ...mas tens toda a razão

Mesmo assim virtualmente eu os amo

E os quero de verdade e também na realidade

Que vamos um dia viver.....

O MEU CIÚME


Em, 24.05.12

Até o ciúme é meu...tenho-o  de ti de forma muito intensa...não de perder a cabeça em tua ausência...há ciúmes que parecem buscados...não sentidos...mal fundados e mal pedidos...mas são as contigências e as evidências...que o expõe e me deixa triste...

Acredito que sem ciúmes não há afeição... Você zela e não quer perder o objeto da sua afeição e do seu amor...mas não para ficar seja como for....só se for um verdadeiro amor....prefiro sofrer...chorar e me dilacerar a pensar que sou amada e que estou sendo só enganada....

Quando olho em teus olhos e não vejo nem sombras de um amor infindo...sinto que o teu amor por mim...se é que houve... está quase findo...motivado pelas megeras que o enlaçam todas...quando nada é só pra mim mas para todas...além de humilhante é desconfortável...

Eu não me corroeria de ciúmes se agisses como meu amado...capaz de enfrentar a tal viagem nem que seja um experimentar...esse sentimento me machuca e dói profundamente...

O aroma do afastamento aumenta  o meu ciúme...me destrói e me consome...tão bom seria se diferente fosse...É como um selo que marca e tatua...atiça no sofrimento presente o prazer que está longe...lá do meu amor ausente...

Será que eu poderia interceptar o rio do tempo? Esquecer de quantas vezes sou por você esquecida? Que de mim tu não precisas...eu nem tenho mais lugar...é gente demais pra ficar?

O ciúme é um sentimento que eu detesto pois ele me afronta e demonstra o que eu tento esconder...as minhas fraquezas e inseguranças...

Como temo perder o que eu nunca tive e nem tenho? Sinto que sou um passageiro do barco da tua vida e em qualquer porto me deixarás quase sem vida...

MAGIA E SEDUÇÃO


Em, 23.05.12

Conhecê-lo foi magia

Permanecer com você: sedução

Tem coisas de fantasia

E ardor no coração



Poetar com você é magia

Continuar é tudo sedução

Nada troco por você meu guia

Não mudo de opinião



Gostar de suas palavras é sedução

Voar com você é magia

É algo de atração

Planar é pura poesia



Amá-lo cada vez mais é sedução

Sofrer por não te ver é magia

Sem você sou paralisação

Com você sou fantasia e paixão





Quando você me sereniza é magia

Ao me excitar é pura sedução

Às vezes me deixa em euforia

Noutras perde a ocasião...

A DIREÇÃO DO CARINHO

Em, 22.05.12
De um tempo desse pra cá
Eu me sinto mais tranquila
Você intuiu alguma coisa?
Teu querer não mais oscila 
Parece que esse amorzinho
Não mais fica feito gangorra
Sinto que estamos juntinhos
Acho que é uma coisa boa... 
Talvez nos conheçamos melhor?
Resolvemos ser realmente felizes?
Não mais sei o que supor...
Da vida sou só uma aprendiz 
De tudo quanto dissemos
Pra mim a melhor conclusão
Foi achar que NOS FAZEMOS BEM
Esse amor é pura EMOÇÃO 
Quando interagimos sinto
Um palpitar galopante...
Vindo do meu coração
Indo em sua direção...

quarta-feira, 23 de maio de 2012

CHUVA DO BEM QUERER



Em,31.07.11

Foi um lindo sonho

Daqueles que não se quer acordar

Eram tantos os desejos, apelos

Tanta coisa se querendo

Que por mais que desse tempo

O tempo seria pouco

A sorte é que no sonho

Espaço e tempo

Não são bem definidos não

Posso fazer contigo

Em apenas dois minutos

O que quando acordarmos

Levaremos pelos menos umas duas horas

Tanto é bom sonhando

Mas é melhor acordado

Olhando esses olhos de luz

Sentindo teu corpo vibrar

Meu corpo respondendo com ardor

Aos desejos acumulados

Durante os tempos passados

O suar banhando os corpos

Num espelho, vejo a nossa entrega

Ardente, compassada, ritmada

Sem escondermos nada

Dando-nos sempre o tudo

Mãos se afagando

Bocas percorrendo

Lugares bem prazerosos

Os quais apesar de sabermos

Gostamos de perguntar

E em meio a cada resposta

Mais enroscados ficamos

Nossos corpos convulsionando

Parece que estamos achando

O céu naquele lugar

Eu te peço pra esperar

Tu fazes o que pedi

Depois me pedes ao ouvido

Depressa, meu bem

Eu acho que vou explodir

Mas isso faremos juntos

Estou teu tempo a esperar

Quero banhar-te do meu, do teu

Enfim de tudo o que tem...

A chuva do bem querer.

































































SUTIS PEGADAS


Em, 19.05.12

Nas sutis pegadas desse amor

Tenho sentido uma vontade imensa

Que brota de ti... de mim e não é pouca

Nossos sentimentos com força ele incensa



Eu sei exatamente o porquê de tudo

Aquelas coisas que não tenham a intenção de ser

Acabaram se transformando em tanto querer

Penetrando cada vez mais, pois temos de ter

Tudo completo... inteiro e agudo...



Surgiu não só por um encanto

Foi a força do conhecimento que o manteve

Lembro-me de ti em forma de acalanto

Tornou-se forte sem cerceamento

Mesmo a distância a nos encher de pranto





Só há aumento pelo fermento da ternura

Há em nós dois... intensa sintonia

Que nos enche a alma de doçura

A compor por esse mundo a nossa sinfonia



Eu o quero tanto que nem sei dizer

Preencheu-me toda... tudo é teu...

Acho que precisamos rápido nos conhecer

Que o meu EU morre de vontade do teu EU.




AQUELA GRUTA


Em, 18.05.12

Entre o jardim dos crisântemos

E a capela dos meus amores

Havia uma gruta na minha adolescência

Imagens da virgem com os pastores



Aquele era um lugar que eu muito ia

Lá eu pensava e também imaginava

Solitária... e sem companhia...

Lá eu não tinha medos....lá a Virgem estava



Às vezes ficava a pensar

Mais tarde vou me confessar

O que vou ao padre falar

Se não tenho pecados a relatar



Mas na imensidão do meu querido colégio

Que foi sempre motivo de grande alegria

Ainda hoje considero um motivo de sortilégio

Ter ali vivido...por tantos e tão bons dias


NOSSO ANJINHO


Em, 18.05.12

Se um anjinho amigo nosso... de asinhas bem macias...cabelos encaracolados, lourinho como o eras quando pequeno...dissesse:- estou cansado...vocês dois me dão trabalho...voam um bocado...e sentem tudo demais....nada  separa vocês... nem magia...eu depressa diria:- não queremos...vivemos na maior calmaria...estamos serenizados...nem usamos fantasia...estamos dizendo tudo com a maior sinceridade...só o que perturba um pouco...é uma tal de saudade...mas penso que logo...logo...ela deixará de existir com essa força...queremos nos encontrar pelo menos uma vez por ano...pra matar quem estar nos matando...pra poder seguir amando...Estamos entendendo até o que não tem explicação...cuja razão deve estar no coração...pois o nosso é de criança....não queremos que eles cresçam...pois são cheios de esperança...vontade de uma andança...desejos de entrar na dança...não queremos é jamais sair...pensando que não me amastes... achando que não te encontrei e que não és o meu REI...



COMPLETANDO VONTADES


Em, 18.05.12

Além de você e eu, além de nós é um espaço vazio... ouço uma valsa dolente...o meu corpo fica quente...e no meu EU mais profundo...a música que eu sempre quis pra nós dois numa noite de luar...

O ritmo do teu no meu corpo... num encaixe tão perfeito cheio de jeitinhos e carinhos...a valsa ficou suspensa no ar e nós girávamos na horizontal...procurando nos agradar...com o melhor que podíamos nos presentear...

Meu olhar sentindo o teu me penetrar... acompanhado de um sorriso que era tudo o que sempre quisemos...e veio de repente na hora do gozo...uma vontade de um choro que eu não sei nem de onde vinha ou quem sabe viesse de dentro de nós mesmos...por tudo o que já vivemos...

HÁ PEDAÇOS DE "NÓS" PELO CAMINHO


Em, 17.05.12

Para ficar como hoje me encontro me livrei de muitos “nós” e saí deixando pedaços pelas trilhas e caminhos por onde passei na minha mais do que real caminhada...

Resolvi que jamais voltaria a ter “nós”, pois eu queria criar eram laços gostosos...carinhosos e completamente cheios de afagos...

Por onde andei e passei sempre fiz muitos laços de amizade... fraternidade e solidariedade... quando eu percebia que por trás dos laços poderiam de surpresas... pegarem-me com “nós”...metia o pé na carreira...ninguém me pegava não...detesto coisas impostas...odeio proibições e me desespero de raiva quando me batem a porta na cara  pois quero poder ir e vir...

A diferença está apenas no manuseio ou manipulação das fitas, fios ou cordas... podem transformar alguém da paz em uma pessoa capaz das mais indizíveis loucuras....

Sei que existem muitos pedaços de “nós” que de alguma forma me seguravam e eu então partia todos... não gosto de sentir dor...gosto dos meus braços e a minha mente livres...

“Nós” nos corações... rompi com todos eles desde que te conheci...e fui ficando e fui deixando...me enlaçastes com toda a ternura que eu poderia sonhar...

Rompestes comigo vários laços nas inúmeras vezes que os consideravas “nós”, mas nem o eram...e hoje ainda bato na porta e sinto que não tens dó...

Os “nós”... não mais existem em minha vida... tenho laços os quais optei por tê-los e nunca forcei a manutenção desses bichinhos...eu constatei um problema...se nossos laços se afrouxam nem que seja por poucas horas... nós sofremos...mesmo quando se desfazem só um pouquinho...

Sentimos falta dos nossos laços e gostamos deles por demais, pois com esse destino nascemos e esses tais laços mantemos... os fizemos com o sentimento que brotou em nós desde então e aumentam à cada momento...É assim que eu sinto e pressinto pois do teu verso sou e serei sempre o anverso.